quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

SOBRE INVEJA

Nunca conheci quem dissesse ser invejoso.
Quando alguém em um momento desconcertante nos relata seus defeitos, os crimes mais comuns citados são a preguiça, a timidez, a impulsividade, o orgulho. Os mais honestos as vezes corajosamente admitem seu egoísmo. Os que gostam de se vangloriar até ao listar seus defeitos, apelam, reclamando de serem “ingênuos”, “ bons para quem não merece”, ou de “perdoarem demais”. E os que agem como se não seu importassem com a opinião alheia a seu respeito, até mesmo se descrevem como arrogantes, frios, calculistas, cafajestes, promíscuos, mas invejosos não. Invejosos nunca.

E quando algum “caso raro” da vida exclama, após ouvir um amigo relatar uma vitória, algo como:
"Ai, que inveja!"
A pessoa, cercada por olhares acusadores, logo corrige
"Ah, inveja BOA, né? Que é isso! Não sou invejoso não!"

Também, pudera...

"Inveja – sentimento em que se misturam o ódio e o desgosto que é provocado pela felicidade, prosperidade de outrem. Desejo irrefreável de possuir ou gozar em caráter exclusivo o que é possuído ou gozado por outrem. "

O invejoso é um sujeito interessante. Ele vai caminhando bem, dentro do lícito em termos de sentimentos.. até que de repente... escorrega e caí de bunda no campo dos patifes! Porque, se você parar para pensar, não há mal nenhum em você querer obter também para si a mesma vitória que alguém que te cerca obteve. O problema é quando se deseja isso em CARATER EXCLUSIVO. O problema é quando não basta conseguir uma vitória. O ruim é quando alguém não consegue brincar em paz com o brinquedo que ganhou, até que ele, e somente ele, tenha um brinquedo tão legal!

Mas, mais interessante que o invejoso, é o que causa a inveja.
Nunca vi ninguém se morder porque o outro ficou doente e ele não. Se você namora com a pessoa mais insuportável do mundo, ninguém te inveja. Se você está vivendo um momento em que permanece recluso, calado, incerto, inseguro ... ninguém cria um profile fake do Orkut pra te invejar.


O objeto de inveja é sempre o que é próspero, o que é sólido, o que brilha e ilumina estrelas que, desprovidas de brilho próprio, refletem com violência a luz que recebem, na tentativa inútil de ofuscá-la. E sem querer, o invejoso, incapaz de controlar o objeto de seu desejo frustrado, o da mais força, o alimenta, o faz chegar a mais lugares, o projeta, o intensifica.

A inveja é na verdade, de certa forma, uma honra. Um elogio. Um alguém que te bate no ombro e diz: “Olha... o que você tem é tão legal, mas tão legal, que eu, de noite, não consigo dormir pensando o quanto odeio o fato de que você tem isso e eu não!”

As vezes o invejoso se excede e te diz: “Ah, farei de tudo, de tudo pra te destruir. Farei de tudo para que pessoas fracas caiam em minhas garras e desdenhem o que você tem, porque eu desdenharei... Ai, desdenharei! Ridicularizarei... Não medirei esforços pra te ferir em suas convicções, até que você se convença, porque EU te convenci, que teu sucesso não é tão grande, não vale a pena... e então EU tomarei o teu lugar.”


Acredite nas suas escolhas! Viva o que te agrada, o que te importa, o que te move. Não se deixe levar por opiniões alheias - elas nem sempre são o que parecem. Não vacile e não abra mão do que te é caro por que alguém te critica. Saiba que é impossível ser grandioso, sem provocar, mesmo sem querer, a fúria dos invejosos.

E se você é secretamente um invejoso, tente entender, no mundo há um lugar de destaque para você também. Busque o que é seu. Deixe passar o que não for...

=)




Um comentário:

Misty disse...

Tavi, obrigada por verbalizar o que eu vinha pensando... Algumas pessoas parecem não se contentar com a própria felicidade e querem destruir a a paz alheia. Eu só gostaria que elas parassem para pensar e cuidassem da própria vida... todos seriam mais felizes, inclusive elas.

tavi