sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

CRISTAL



Ela era várias. Ao menos três. E podia amar mais de uma pessoa, mas nunca exatamente ao mesmo tempo. Seus amores se intercalavam nos dias de uma mesma semana. E tudo o mais nela, os humores, os desejos, os medos, os arrependimentos e os orgulhos, tudo se alternava, misturava e dividia, em sua estranha vida de caleidoscópio.

Por isso, era comum que ela fosse a pior e a melhor em um mesmo esporte. Por isso, ela nunca respondia a mesma pergunta da mesma forma, duas vezes. Por isso, ela se buscava em vão e jamais se compreendia.


Ela se punia. E não importa quem ela fosse no dia, sempre havia algo pelo que se punir. Sempre havia um amante abandonado. Uma ligação de um alguem de outro dia, que ela se negava a atender. Sempre havia, em suas promessas de amor eterno, a ressalva, e só ela sabia, de que esse amor, eterno sim (tudo que ela amava era pra sempre), mas intercalado, não seria um amor comum.



Tinha dias que ela chorava e rolava na cama de tanto desejo. Ela gemia, quando tocada, de um jeito mais intenso. Ela puxava o corpo de seus amantes contra si com uma voracidade maior. Também é verdade que havia dias em que ela respondia com violência ao toque. E se sentia violada ao ser surpreendida por uma simples demonstração de afeto.


Ela queria voar e mergulhar, mas não sabia decidir. Ela caminhava então. E só voava quando enxergava o abismo. E mergulhava também, mas apenas o suficiente para ultrapassar dias difíceis.



Ela parecia muito feliz, e era feliz as vezes. Mas mais que tudo, ela sabia parecer. É preciso saber parecer quando se tem a alma dividida. Ela achava que jamais seria amada pelo que é. Ela sorria e emprestava a si mesma cores mais estáveis . Era preciso.



Ela sonhava com o dia em que teria mais de um corpo, cada um com uma alma perfeitamente completa e hermeticamente fechada em si mesma. E poderia, então, dizer tantas coisas que seriam a verdade absoluta. Ela poderia então dizer “te amo”, sem sentir culpa.



Mas depois, ela lembrava que seu mundo, o mundo muito particular em que vivia imersa, era um mundo de almas divididas e de sonhos incertos. Ali, no mundo único e peculiar dos que não mentem pra si mesmos, não se ama sem ressalvas. Não se segue sem desvios. Os caminhos são todos repletos de tantas diferentes estradas. As pessoas são todas, em diferentes graus, multifacetadas.

5 comentários:

_lua_ disse...

.."Ela sonhava com o dia em que teria mais de um corpo, cada um com uma alma perfeitamente completa e hermeticamente fechada em si mesma. "..

Acho que estou longe de desejar um corpo e alma perfeitos, sou meio avessa a perfeições.

Adorei o novo layout de seu blog, as imagens de hentai são simplesmente divinas, olhei e re-olhei cada uma delas, várias vezes, *rs.

Bjs moça "peculiar" *Rs.

{ÍsisdoEgito}JZ - Tua, somente tua disse...

Hola amigos,

por admirar e gostar deste espaço, estou oferendo com prazer e carinho, este selo.

Espero que gostem.

Basta passar em me blog e pega-lo.

www.tattourouge1.com

Beijos carinhosos,

ÍsisdoJUN

tavi de ÁSGARÐ disse...

Lua,
Nossa, eu tambem estou longe de desejar um corpo e alma perfeitos. Eu não acredito em perfeição. No caso era uma alma perfeitamente completa. E não perfeita...

Sou apaixonada por hentai... e pela forma como essas imagens são, ao mesmo tempo, absolutamente delicadinhas e absolutamente excitantes..rs

Beijos!

tavi de ÁSGARÐ disse...

Isis,

Agradeço muito pelo selo. =)
E, principalmente por sua presença aqui no Veneno.

Beijos!

([{mila}])MAGNO disse...

oi Tavi, eu voltando e aqui várias vezes para te ler.
Já te disse que té ach ótima com as palavras, são carregadas de emoção, sentimentos, e levam a uma lúcidez inteligente.
Adoro seus textos, se as vezes não posto, é porque fiquei sem palavras, refletindo, decifrando e preciso degustá-los lentamente.
As imagens estão simplesmente lindas, como voce mesma disse expressam um delicadeza e uma sensualidade.

beijos

([{mila}])MAGNO

tavi