domingo, 1 de março de 2009

Maldito Vinícius!


O amor é lindo!
Será?
Bom, nem sempre né? Quem me le bem sabe que não acredito em perfeição.
Outro dia, conversava com uma amiga sobre poetas, e ela me contou o quanto se encantava com Vinicius de Moraes.
Ela dizia:
- Nossa! Ta aí um homem que realmente entendia as mulheres!
E suspirava.

Eu baixei a cabeça tentando decidir se contava ou não pra ela sobre o que eu realmente penso desse “cidadão”
Pensei... pensei... mas como ela, suspirante, já declamava o manjadasso Soneto da Fidelidade, resolvi me calar.

Vinicius... Vinicius...

Vinicius casou-se nove vezes, e dizia que se casaria quantas vezes fossem necessárias. Também costumava dizer que o uísque era o melhor amigo do homem. É dele a frase tão celebrada por aí: “As feias que me desculpem, mas beleza é fundamental”. Entretanto, vê-se pelas fotos do poeta, que ele mesmo não era exatamente o que se pode chamar de um ser humano vaidoso. É tido por aí como um homem que entendia as mulheres.

Bom, creio que ele realmente entendia o suficiente, de mulheres, e principalmente, de palavras.
E como poeta, é difícil escrever dele alguma critica negativa. Talvez possa-se dizer que ele passeava demais entre estilos, como alguém volúvel, incerto, ou simplesmente como quem não se compromete. Um odiador de rótulos? Pode ser. Um oportunista? Sabe-se lá! Mas mesmo eu, com toda minha relutância, não consigo negar: O cara era bom no que fazia!

O que me chateia é quando ele é amado por motivos... duvidosos....

Se se ama um cafajeste, diga-se: Ah, Vinicius! Aquele cafajeste! Como o amo!

Mas não se diga dele “Que romantico!!!!” “Que homem fiel e estável”

É claro que se pode discutir o sentido da palavra “romântico”, mas aí a historia é outra...

Eis que acordo bem. Tudo dá certo. Me sinto bela e jovem... sei que tenho todo o tempo do mundo. Transpiro hormônios e necessidade de aventuras. Sonho com um sedutor qualquer pra me tirar da rotina. Leio um poema de Vinicius. Levo na brincadeira. Sorrio. E saio de casa feliz.

Eis que acordo mal. O cabelo não vai pro lugar. Me preocupo com o futuro. Busco colo e estabilidade. Leio um poema de Vinicius e penso: Hoje seria o dia que esse filho da puta me daria um belo pé na bunda!

Concluo. Vinicius é definitivamente o meu cafajeste favorito.
Seus poemas são como lindos e bem construidos castelos... de areia.
Seus poemas são como um remédio pra dor de cabeça. Servem apenas em situações especificas. Não adianta tomar um Doril quando teu problema é náusea, ou cólica menstrual. Doril e Vinicius, só servem pra certos dias, certos humores... Fora disso te deixam na mão. E se você reclamar ainda te sorriem dizendo: Mas, querida, você sabia. Tava tudo na bula!

Bom, não contei pra minha amiga nada disso. Voltei pra casa. E escrevi um e-mail pra ela que copio aqui, pra todos os adoradores do “poetinha” (não é maldade minha não...era assim que ele era conhecido). E, direta que sou, escolho logo o Soneto da Fidelidade pra expressar o que eu entendo das palavras do Vinicius. Segue o e-mail

Querida xxxxxx,

Quando você recitou pra mim o Soneto da Fidelidade, confesso que fiquei em duvida se eu e você interpretamos o conteúdo da mesma maneira. Te conhecendo como conheço, me pareceu estranho que você, que louva os amores eternos, os casamentos bem sucedidos, fã número 1 de bodas de ouro e que busca pra ti, um romance sem fim, se encantasse justamente com esse grupo de quartetos e tercetos. Desculpe-me se eu estiver sendo obvia. E desculpe também a informalidade na interpretação.

Soneto da Fidelidade


De tudo, meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

(Ou seja: Entenda, existem no mundo encantos maiores que o teu, mas eu serei bem zeloso e atento para que mesmo frente eles, eu ainda prefira você, com a ajuda de Deus!)

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.

(Ou seja: Entenda, esse amor não será um mar de rosas. Existe um pesar e existe pranto! Vai ter aquele dia em que eu vou acordar e pensar: Que que eu to fazendo aqui com essa mulher?)

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

(Ou seja: Prepare-se. O fim de quem ama é ficar sozinho. Não me culpe quando isso acontecer com você. Você já foi avisada!)

Eu possa me dizer do amor ( que tive ) :
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

(Ou seja: Nosso amor vai durar só um verão, um peíodo, Não te prometo nada. Pra sempre é muito tempo, e eu tenho vários amores pra viver! Quando acabar, vê se se contenta com a lembrança do que tivemos. Eu certamente me contentarei. Que seja infinito APENAS enquanto durar!!! )

***
Eu sei, amiga... você deve estar se perguntando
Mas e quanto a “eu sei que vou te amar... por toda a minha vida eu vou te amar” – Isso também foi ele que escreveu.
Ah, eu sei... tem homem que fala tanta coisa por uma paixão... e para vive-la... “em cada vão momneto” e lógico “infinitamente, enquanto dure”.

8 comentários:

Anônimo disse...

perfeito tavi, mas nao posso negar que o soneto de devoção me faz suspirar muitissimo...Ele inteiro!

"essa mulher é um mundo, uma cadela. Mas na moldura de uma cama, nunca mulher nenhuma foi tão bela..."

Ananda disse...

Parabéns pelo texto tavi, vc escreve muito bem, mas lembre-se:
- Antes de ser poeta, Vinicius era libriano, e, creio que só librianos conseguem entender o real significado de tudo que ele escreveu - e VIVEU
Eu, uma libriana sei bem como é viver nessa gangorra, ops desculpa-me, balança, rs,. Mesmo qdo estou vivendo um amor cheio de colorido e magia, asas do pensamento insistem em bater, se perguntando, “como será o próximo?”
Isso nos torna frios, egoístas, maus amantes?
Não. Pelo contrario. Sei bem que me doou ao maximo em todas relações – de todos setores, não só amorosas. Todos meus sentidos se concentram nela, me jogo por inteira, porem, a sensibilidade aguçada, o desejo de caminhar novos caminhos, de conhecer novas paisagens é mais forte; atiça-me provocando angustia, choros, ate que de repente “eis me eu” mudando de perfume, cor, emprego, cidade, amor.
Eu sou feliz sendo assim? Será que ele foi feliz?
Tenho certeza que ele não foi como eu tbem não sou. “ser mutante dói, é sentir saudade, antes mesmo do objeto amado partir” e isto causa uma agonia, uma dor tão profunda que impossível descrever. Por isso eu amo, venero sim, O “nosso Poetinha”, porque pra mim, foi o único que conseguiu descrever, sem falso moralismo, essa ansiedade, desespero mesmo, que vivem pessoas como eu, e muitos outros tantos que conheço, que amam, se entregam; as vezes ate se destroem por uma paixão mas nunca conseguem se centrar, crer em uma religião ou partido político, enxergar seja la o que for como parte da eternidade, e, viver neste pendulo é triste, doloroso demais, e, com toda certeza: Nunca seremos fiel a uma único rotulo dele, porem, o uísque É sim nosso melhor amigo por ser o único que nos entorpece fazendo-nos esquecer nossas fragilidades e as frases que ouvimos diariamente:
“poxa, ele era um ótimo marido e pai”
“como vc deixa emprego numa multi nacional pra vir vender hot dog na praia?”
“quem vc pensa que é pra dispensar assim aquele deus grego?”
“desse jeito vc vai acabar velha e sozinha nesse mundão de deus”
“ não era vc que odiava amarelo e amava azul?”
“vc não tem pena por abandoná-lo assim?”
“vc lutou anos pra ter uma casa enorme e agora vende e esta vive confinada nesse apto de 1 quarto????
- É “menina” não é fácil, não viu? E consolo tbem não há, pois, ele morreu perdido entre países, amores, culpas e medos, sem nunca se realizar plenamente, e eu, embora não sendo pessimista, já vivi mais de 50 anos e neste estagio já não cultivo esperança de mudar meu jeito de sentir. Apenas aprendi a me aceitar como sou e tbem nisso Ele, Divino Vinicius, muito me ajudou, então, por favor, não seja “mais uma” a criticar aquilo que não pode sentir, sim?
Ate porque, pelo que vi no seu blog, vc é convertida ao sadomasoquismo, algo que maior parte da humanidade não entende ( eu sou uma delas) nas nem por isso critico.
- Se consegue ser feliz sendo assim, parabéns, vá fundo!!
Como disse Caetano – espero que tbem não o tenha como “maldito Caetano” -
CADA UM SABE A DOR E A DELICIA DE SER O QUE É.

Ananda disse...

Boa lembrança do anônimo que fez comentário anterior.
Realmente Soneto da Devoção é um poema de encontro feliz, de paz consigo mesmo, refletindo, no “outro”.
Creio que foi escrito num raro momento de “sossego” do Poetinha, pois estes momentos, felizmente, existem para todos; mesmo pra quem nasceu num dia de outubro.
“TERNURA” é tbem um poema que reflete essa paz, e, é tão meigo que ate os mais canibais não conseguiriam criticar.

E, para quem quer conhecer de fato a agonia vivida por este menino Poeta, não se prendam a sua terceira fase, a mais conhecida e talvez a mais contida dele. Busquem-no na primeira. A meu ver, seu melhor auto retrato, onde ele expõe toda a dor de sua infrutífera busca é, “Ariana, A Mulher”

Allan disse...

Vinícius era um cara inquieto, na verdade de alma inquieta. Vivia e era impulsionado pela paixão e você sabe e eu sei também , que a paixão não dura. Difere esta muito do amor, o amor é o que eu sinto pelo meu filho, por minha mãe, ou seja, incondicional, a paixão é o que acontece entre homem e mulher, alguns dão sorte de amar a mesma pessoa por quem tem paixão. Vinícius era capaz de qualquer baixaria para conquistar uma mulher, mas a diferença dele para os derradeiros canalhas é que Vinícius fazia isso em nome da paixão e não pelo simples e acre sabor de uma conquista vazia. Parabéns pelo artigo. Beijos.

tavi disse...

Obrigada por comentarem! =)

Ananda, tb gosto muito de vários poemas do Vinícius... Não leve o título tão a sério. Não tem esse peso todo, embora eu confesse que possa parecer que tem. E não pretendo ofender quem gosta ainda mais do que eu do Vinícius. O "Maldito" foi mais um "Maldito" carinhoso. Como eu disse, o cara era bom no que fazia e sempre vai ser meu canalha favorito...

Acontece que eu fui superficial no que falei. Quis criar um texto que é mais honesto com as sensações que tenho ao ouvir muita gente exaltar Vinicius sem entender essa inquietude que ele expressa, do que com a parte mais "lógica" da minha opinião sobre ele como poeta.

Criei esse espaço para escrever porque amo e preciso disso. Quero que aqui seja um cantinho em que eu tenho liberdade para me expressar sem muitas preocupações ou justificativas, sem politicagens excessivas. Então, me desculpe se pareci crítica demais. Talvez eu seja um pouco mais crítica do que deveria... Mas aqui eu me mostro como sou, até mesmo com meus defeitinhos....

Poderia ir mais além na minha análise. Talvez Vinícius me incomode, de certa forma, por eu projetar nele um pouco da minha própria inquietude. Talvez eu tema ser, quem sabe, muito mais parecida com ele do que eu assumo... Talvez...

O ponto todo se resume em duas frases:"Não me leve tão a sério. Eu não escrevo, deliro!". Acho que me entende melhor quem delira tb... Não os mesmos delirios, mas quem também se assume gente, se entende falho, limitado,humano, e mesmo assim, as vezes é capaz de ser livre e audacioso, polemico se assim o fizerem, mas acima de tudo, fiel as suas vontades como o inconsciente de uma criança.

E dá pra dizer que... esse é exatamente o objetivo do blog. Em primeiro lugar, me expressar com liberdade. Em segundo lugar, tocar as pessoas, de alguma forma. Fazer quem lê rir, chorar, sentir raiva,comentar, falar bem, falar mal, querer me matar... essas coisas tão fascinantemente humanas.

Mas eu não sou "convertida" ao sadomasoquismo. Isso seria impossivel. Quem nasce baunilha, morre baunilha. Graças a Deus eu nasci com muitos outros sabores.

Embora que... quando leio "Ternura", do poetinha,... até eu tenho uma pontinha de vontade de idealizar Vinícius!

NAO! NÃO! Maldito Vinícius!! rsrsrs

=)

ULISSES VIANA disse...

“...Deve andar perto uma mulher que é feita
De música, luar e sentimento
E que a vida não quer de tão perfeita
Uma mulher que é como a própria lua:
Tão linda que só espalha sofrimento
TÃO CHEIA DE PUDOR QUE VIVE NUA”

A DIFERENÇA ENTRE VINICIUS E OS OUTROS, CERCA DE 99% DA HUMANIDADE É QUE ELE NÃO MENTIA PRA QUEM ESTAVA AO SEU LADO, NÃO MENTIA QUANDO ESCREVIA, NÃO MENTIA PRA SI MESMO.
- QUEM DE NÓS NÃO SE SENTE UM CAFAJESTE DIANTE DA PERGUNTA DE OSWALDO MONTENEGRO, “QUANTOS AMORES JURADO PRA SEMPRE, QUANTOS VOCÊ CONSEGUIU PRESERVAR?”
*O ADULTO COM MAIS DE 20 ANOS QUE ESTIVER FELIZ E FIEL AO LADO DE SEU PRIMEIRO AMOR, AQUELE A QUEM DEU SEU PRIMEIRO BEIJO E JURAS DE AMOR ETERNO, QUE ME ATIRE A PRIMEIRA PEDRA!
-ACHAMOS NORMAL JURAR DIANTE DO PADRE AMOR ATÉ QUE A MORTE NOS SEPARE E DIA SEGUINTE CANTAR A PRIMEIRA BOAZUDA OU BONITINHA QUE ENCONTRAMOS E SE BODAS DE OURO NOS COMOVEM, EU ME PERGUNTO, “SERÁ QUE FORAM FIEIS E SINCEROS CONSIGO MESMOS MESMO TODOS ESTES ANOS?”
**SOMOS HUMANOS CARÍSSIMA MENINA E POR ISSO ODIAMOS VER NOSSAS VERDADES EXPOSTAS, MESMO QUANDO EM FORMA DE POESIA.

Eros disse...

Olá.
Infelizmente conheci teuy blog neste tópico:
http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs.aspx?cmm=5378225&tid=5319463321527066129&na=4.
Apesar dos comentários agressivos, gostei muito desse teu artigo, mas... confesso que tenhas exagerado em várias coisas.
As pessoas que se dizem fãs do Vinicius, tendem a envolvê-lo n'um conto encantado, como se ele fosse um belo príncipe. O príncipe que sabe tudo das mulheres. NÃO! Ele era um grande amante, sem dúvidas. Se tudo o que ele diz é verdade, são poucos os que já amaram tanto quanto ele. Vinicius, um puta cafageste! Eis a minha visão. E por isso o admiro.
Afinal, elas casam com os bonzinhos mas se apaixonam pelos cafagestes. Vinicius era sincero, aprecio isto. E as mulheres também... O Soneto da Fidelidade, para mim, é recheado de doces ironias... Mas é tão verdadeiro que encanta tanto quem o entende de verdade, quanto quem o vê como algo bonitinho e mágico.
Enfim... Salvo teu blog em meus favoritos e prometo ler mais do que tens a dizer. Gostei bastante.

tavi disse...

Eros,
Puxa... obrigada por me dar o benefício da duvida e vir ler o que eu tinha a dizer. Normalmente quando tem tópico assim, as pessoas criticam de cara, sem nem tentar entender o que estava sendo dito...
Acho engraçado porque o que eu critico, acima de tudo, é a postura das pessoas endeusando Vinicius. Por isso cometi o sacrilégio do título... foi apenas um recurso que usei. Mas acho que algumas pessoas sairam achando que eu ODEIO o Vinicius...

Seja muito bem-vindo ao blog!
=)

tavi